segunda-feira, 7 de julho de 2014

Por não te saber
te imagino

teu sentir que desconheço
onde vou é novidade eterna e terna.
o que vejo desconheces,
o que sinto só eu sei.
Mas teu delírio não nega,
que sentes na pele,
os carinhos que nem sei.


Nenhum comentário: