quarta-feira, 9 de junho de 2010

Entardecer


Algo doce na tarde
ventos suaves na árvore
As sombras da tarde refrescam
O sol passando entre os galhos
Os colibris, ao voar, espalhando suas penas
As montanhas se deslocam
As águas dos rios correm
Silêncio ao anoitecer
Ao acordar tudo se repete
Mas será outro dia
À tarde tudo será parecido
Com tudo diferente

9 comentários:

Maria Clara disse...

Que lindo! É seu??

R. disse...

Sim, é meu. :-)

**

Sedentário disse...

Tua poesia é tão livre quano tua alma. Para ser poeta não basta apenas nascer poeta tem que ler todos aqueles autores destacados em sua pagina, muito bons autores, principalmente o maior de todos os filosofos NIETZSCHE. aBRAÇOS!!

Sedentário disse...

Tua poesia é tão livre quano tua alma. Para ser poeta não basta apenas nascer poeta tem que ler todos aqueles autores destacados em sua pagina, muito bons autores, principalmente o maior de todos os filosofos NIETZSCHE. aBRAÇOS!!

maybe disse...

I'm appreciate your writing style.Please keep on working hard.^^

be disse...

華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,

Alice disse...

lindo.

Inside Me disse...

entedi tudo q "Be" disse =x jura? kkkkkkk
abafa o caso, mas parabéns pelo texto completo, me senti nessa imagem, me joguei no mar das sua palavras... realmente "a alma é uma catedral submersa"... bjssss, amei aqui ^^

Marina disse...

Poema e imagem. Viajei nos dois agora. Muito lindos.
Beijos!!